Universitário
Universitário Notícias
Notícias    UFRGS


Ciência sem Fronteiras abre novas chamadas para bolsas no exterior

02/08/12 -   F:  UFRGS

As oportunidades são para graduação sanduíche na Austrália, Alemanha, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, Holanda e Reino Unido.


Começam no dia 6 de agosto, e seguem até 14 de setembro, as inscrições para as novas chamadas de bolsas de graduação sanduíche oferecidas pelo Programa Ciência sem Fronteira. Há oportunidades de estudo na Austrália, Alemanha, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, Holanda e Reino Unido. A Relinter ( Secretaria de Relações Internacionais) publicará na próxima semana edital complementar regulamentando a participação de alunos da UFRGS no Programa. O edital estará disponível no site da Relinter no link Editais Abertos.

As bolsas terão duração máxima de 18 meses, sendo seis meses de curso de língua estrangeira - quando disponível antes do início do período acadêmico; nove meses dedicados aos estudos em tempo integral; e até três meses para estágio de pesquisa ou inovação tecnológica em centro de pesquisa industrial ou laboratório na universidade. Os estágios serão oferecidos pela universidade do exterior ou por instituição parceira diretamente ao aluno.

Quem pode participar

O candidato deve estar matriculado em curso de nível superior nas áreas e temas do programa, ter nacionalidade brasileira, ter cursado no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso e apresentar o teste de proficiência na língua do país de destino.

Sobre o Programa

O Ciência sem Fronteiras pretende propiciar a formação de profissionais altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras. O programa prevê 75 mil bolsas até 2015 , oferecidas pelo governo federal, mais 26 mil bolsas concedidas com recursos da iniciativa privada.

As áreas prioritárias do programa são Engenharias e demais áreas tecnológicas; Ciências Exatas e da Terra; Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde; Computação e Tecnologias da Informação; Tecnologia Aeroespacial; Fármacos; Produção Agrícola Sustentável; Petróleo, Gás e Carvão Mineral; Energias Renováveis; Tecnologia Mineral; Biotecnologia; Nanotecnologia e Novos Materiais; Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais; Biodiversidade e Bioprospecção; Ciências do Mar; Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação); Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva e Formação de Tecnólogos.

A iniciativa é do governo federal, por meio dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC) e suas instituições de fomento - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Informações completas no site do Programa.