CULTURA: O que você conhece do Islamismo?
 
Quem não se lembra do caos que rolou no dia 11 de setembro de 2001? Pois é, mas o atentado ao World Trade Center não abalou só os EUA, como também o Islamismo, religião de origem árabe que começou a ser vista com maus olhos pelo ocidente depois desse dia.


Seis anos depois da tragédia, o Virgula decidiu investigar essa má fama do Islã e acabou descobrindo que não é nada disso. A crença, inclusive, não está concentrada no oriente e não abrange apenas fanáticos não. Aliás, o Islamismo é a segunda religião mais numerosa do mundo, atrás apenas do cristianismo.

Só no Brasil existem cerca de 1 milhão de muçulmanos, muitos deles são brasileiros convertidos. Falimah El Zatuin, por exemplo, é uma jovem de família cristã e ascendência portuguesa que resolveu se converter: “Fui encaminhada à Liga da Juventude Islâmica por um amigo. Eu gostava do arabismo, mas nem conhecia o islamismo. Um dia perguntei a esse amigo como era esse negócio de ser muçulmano. Pensava que era terrorismo, mas ele explicou que não é assim e me levou para conhecer a Liga. Eu gostei muito e me reverti.”, conta.

A Liga da Juventude Islâmica Brasileira funciona em São Paulo e realiza projetos sociais e aulas de árabe com o intuito de divulgar a religião. Cerca de 200 jovens freqüentam o lugar e, segundo Falimah, a maior parte é de família brasileira que decide se reverter: “A maioria das pessoas vem parar aqui por pura curiosidade. A mídia, por mais que deturpe a imagem do Islã, acaba trazendo gente curiosa para entender porque alguém faria uma coisa dessas, que descobre que não é nada disso e fica por aqui”.

Falimah também lembra que é difícil conciliar a vida ocidental com o Islamismo. A religião tem certas regras que entram em conflito com a rotina corrida do jovem brasileiro, como a de rezar 5 vezes por dia ou de jejuar por 24 horas no mês Islâmico, dia em que os muçulmanos também não podem fazer sexo: “A gente mantém contato com essas pessoas que acabam ficando impossibilitadas de seguir os pilares para que não se sintam sozinhas.” Os muçulmanos vivem a vida presente pensando na vida futura, pós morte, a fim de conquistar seu lugar no paraíso.

Saiba quais são os mandamentos da religião

Muçulmano significa “submissão às vontades de Deus”. O Islamismo é composto por uma espécie de onze mandamentos chamados de Pilares. Existem 6 Pilares da Crença e 5 Pilares da prática que o muçulmano precisa conhecer, aceitar e praticar.

Pilares da Crença:

1- Acreditar em Deus único sem intermediário.

2- Acreditar nos anjos. Ninguém sabe o número de anjos ao certo, mas existe um para cada fenômeno como o anjo da vida e o da morte.

3- Acreditar nos profetas, desde Adão até Mohamed, que foi o último. Os profetas são receptores e transmissores de mensagens de Deus aos homens.

4- Acreditar nos livros verdadeiros. O Islamismo acredita que o livro chamado Alcorão é a última mensagem revelada por Deus, mas que outros livros como a Bíblia e a Torah contém versões escondidas que também revelam a verdade.

5- Acreditar no destino. Segundo a crença Islã, Deus escolhe o dia do nascimento, família em que a pessoa nascerá e o dia de sua morte. Fora isso, entra o livre arbítrio. ”Deus encaminha a gente para o caminho mais certo, só que é escolha nossa se guiar ou não para esse caminho”, diz Falimah.

6- Acreditar no juízo final, dia em que se presta conta com Deus e ganha o paraíso ou não.

Pilares da prática:

1-
Testemunhar que Deus é único e que Mohamed é seu servo último mensageiro.

2- Rezar 5 vezes ao dia em horários determinados para a sintonia com Deus e evitar que os muçulmanos cometam pecados.

3- Fazer jejum no mês Islâmico, quando foi revelado o Alcorão. Se jejua para limpar o coração e o corpo entre o nascer e o pôr-do-sol, período no qual os muçulmanos também não podem fazer sexo. “O jejum nos ajuda a dar maior valor aos prazeres”, diz Falimah.

4- Contribuição anual no dia da festa que comemora o fim do jejum com 2,5% do que o seguidor do Islamismo ganha durante todo o ano para uma pessoa necessitada de sua escolha.

5- Peregrinação à Meca: todo muçulmano deve fazer essa viagem de peregrinação que acontece em mês específico do calendário para que se purifique.


Por Júlia F. Bolliger



Fonte: FE - Terra - 12/09/2007